Crise: Em quatro anos, varejo fecha quase 300 empresas na região

Levantamento do Sincomercio aponta, ainda, redução de mais de 2 mil postos de trabalho nos últimos três anos

loja fechada

O comércio varejista dos municípios da base do Sincomercio (Sindicato dos Lojistas e do Comércio Varejista de Americana, Nova Odessa e Santa Bárbara d’Oeste) perdeu 292 estabelecimentos entre 2013 e 2017, apurou a assessora econômica da entidade, Caroline Miranda Brandão. O número de empresas no setor, ao final do ano passado, foi o menor desde a crise econômica do final da década passada. Os dados são da Rais (Relação Anual de Informações Sociais), do Ministério do Trabalho.

O pico de estabelecimentos ativos ocorreu em 2013, quando Americana, Nova Odessa e Santa Bárbara d’Oeste somavam 4.267 empresas do comércio varejista. O número veio caindo ano após ano, finalizando 2017 com 3.975 lojas, queda de 6,8%. O valor é o mais baixo desde 2010, quando haviam 3.891 estabelecimentos na região, ainda reflexo da crise econômica mundial que teve início em 2008.

Estabelecimentos 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017
Americana 2.148 2.158 2.223 2.368 2.393 2.421 2.412 2.352 2.332 2.304
Nova Odessa 311 335 366 386 400 429 411 404 389 394
Sta. Bárbara 1.186 1.278 1.302 1.401 1.396 1.417 1.434 1.374 1.313 1.277
Total 3.645 3.771 3.891 4.155 4.189 4.267 4.257 4.130 4.034 3.975

Empregos

O número de postos de trabalho no varejo teve seu auge em 2014, quando o ano terminou com 25.495 vagas. Os empregos, assim como na quantidade de empresas, também foi declinando, e 2017 encerrou com 23.298 vagas no setor, queda de 8,6% em relação ao pico. O resultado também foi o pior desde 2010.

Emprego 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017
Americana 12.785 13.269 13.984 14.465 14.500 14.725 14.618 13.413 13.295 12.974
Nova Odessa 1.756 1.990 2.171 2.336 2.414 2.797 2.883 2.976 2.900 2.982
Sta. Bárbara 6.052 6.293 6.571 7.310 6.973 7.653 7.994 7.756 7.499 7.342
Total 20.593 21.552 22.726 24.111 23.887 25.175 25.495 24.145 23.694 23.298

Todos os setores

Comparado ao pico de 2013, o número de postos de trabalho na região, somados todos os setores da economia, caiu quase 10% em 2017, fechando 14.475 vagas. O segmento que teve o pior desempenho foi a Indústria, perdendo mais de 10 mil empregos. Em relação a estabelecimentos, o melhor resultado foi o do setor de Serviços, que encerrou o ano passado com 112 vagas a mais que o auge, em 2014. Já o comércio (incluindo varejo e atacado), que teve seu pico em 2013, terminou 2017 com 325 vagas a menos que naquele ano.

ESTABELECIMENTOS

Segmento/Ano 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017
Extrativa Mineral 6 7 9 10 7 6 6 6 6 6
Ind. Transformação 2.225 2.272 2.318 2.476 2.479 2.521 2.517 2.503 2.409 2.336
Serv. Industriais
de Utilidade Pública
12 16 17 20 23 26 27 28 32 32
Construção Civil 277 306 377 422 459 507 535 504 480 462
Comércio 4.186 4.331 4.479 4.742 4.827 4.894 4.885 4.754 4.640 4.569
Serviços 2.858 3.102 3.303 3.603 3.736 3.946 4.085 4.184 4.211 4.197
Administração Pública 11 11 11 11 12 12 12 13 12 13
Agropecuária,
Ext. vegetal, caça, pesca
70 73 76 72 76 84 84 83 80 82
Total 9.645 10.118 10.590 11.356 11.619 11.996 12.151 12.075 11.870 11.697

EMPREGOS

Segmento/Ano 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017
Extrativa Mineral 95 137 165 211 194 189 183 179 162 121
Ind. Transformação 60.109 59.089 64.541 62.901 59.680 61.804 60.232 54.575 51.625 50.950
Serv. Ind. Util. Pública 943 882 940 937 1.312 1.417 1.694 1.743 1.647 1.715
Construção Civil 3.438 3.876 4.078 5.014 4.087 5.088 4.715 4.565 4.143 4.512
Comércio 24.506 25.240 26.820 28.301 28.539 29.502 30.051 28.425 28.406 28.069
Serviços 30.094 32.444 34.405 36.454 37.628 39.077 39.216 39.525 40.510 38.561
Administração Pública 9.225 9.979 10.774 10.960 11.445 12.121 11.974 11.319 10.951 10.675
Agropec., Extr. vegetal, caça, pesca 480 475 464 417 386 479 485 542 576 599
Total 128.890 132.122 142.187 145.195 143.271 149.677 148.550 140.873 138.020 135.202

Você pode gostar...